O Potencial dos Hackatons para 

SOLUCIONAR PROBLEMAS

das Cidades...

Nos hackatons, o objetivo é claro: encontrar uma solução para um problema. 

 

Esses eventos acontecem em um curto período de tempo (geralmente em um fim de semana) e reúnem pessoas de diversas áreas, não se limitando apenas aos profissionais de TI. Para uma empresa, promover um hackathon serve tanto para a fabricação de softwares quanto para o desenvolvimento de soluções alternativas aos seus problemas. 

Tais maratonas ganham papel ainda mais especial quando seu foco é pensar saídas para grandes questões coletivas, como relacionadas à redução de desigualdades, corrupção, ou ainda graves acidentes ocorridos, como o derramamento de óleo cru no litoral do nordeste brasileiro em 2019, o maior registrado na história dessa natureza e com danos previstos para durarem por décadas.

Conheça exemplos de destaque do país:

 

Óleo no Nordeste

 

O que as mentes criativas de Pernambuco poderiam ajudar no problema do óleo cru? Com esse questionamento, foi lançado em 2020, o projeto A.MAR - Mutirão dos Mares. A iniciativa reuniu pessoas de diversos segmentos - academia, governo, mercado e sociedade civil organizada -, em um evento no estilo hackathon, para pensar dez ideias e soluções que reduzissem o impacto do desastre ambiental. Foram desenvolvidas três frentes de trabalho, previamente mapeadas por especialistas: área humana, área ambiental e remoção do material das praias.

Já na Bahia, foi pensada uma plataforma digital que monitorasse a chegada do óleo no litoral nordestino - criada por um grupo de cinco estudantes durante um Hackathon promovido pela agência espacial americana NASA, em Salvador. O programa teve mais de 15 mil acessos em duas semanas. A plataforma pode ser acessada pelo computador e pelo celular [conheça aqui]. Ela é um espaço onde todos, de qualquer região do país, podem colaborar com informações, que são analisadas pela equipe e depois colocadas online - o sistema mostra o mapeamento sobre as manchas de óleo e também o grau de contaminação.

Crise no Rio de Janeiro

 

Mergulhado em caos econômico, político e social, o Rio enfrenta grave crise fiscal e econômica há anos. Para enfrentar esse difícil cenário, o Juntos pelo Rio, um grupo criado em 2018 e que já movimenta a cidade com força total, promoveu a realização do Hacking Rio. O time é formado por empreendedores e líderes empresariais apaixonados pela cidade, unidos pela colaboração, inovação e tecnologia. A primeira edição da maratona aconteceu no Aqwa Corporate, zona portuária, nos dias 27, 28 e 29 de julho de 2019. Foram três eventos simultâneos, incluindo a maior maratona de desenvolvimento da América Latina, com mais de 700 participantes pensando e desenvolvendo soluções para a cidade (confira aqui uma matéria sobre os resultados).

...E 

combater a corrupção

 

A corrupção no Brasil afeta diretamente o bem-estar dos cidadãos ao diminuir os investimentos públicos na saúde, na educação, em infraestrutura, segurança, habitação, entre outros direitos essenciais à vida, ampliando a exclusão social e a desigualdade econômica. Desde 2014, a Operação Lava Jato, a maior investigação de corrupção da história do país, revelou um quadro de corrupção sistêmica no Brasil e Departamento de Justiça dos Estados Unidos considerou o esquema de corrupção do Grupo Odebrecht, um dos investigados pela força-tarefa, como o maior pagamento de propina da história mundial. Em 2015, uma pesquisa de opinião realizada pelo instituto Datafolha indicou que a corrupção é o maior problema no país

Fique por dentro de projetos referenciais no seu enfrentamento:

Dados Abertos |  Como os dados abertos podem ser utilizados com o propósito de combater a corrupção? A cientista de dados da Transparência Brasil, Jessica Voigt, explora um pouco como dados públicos podem ser utilizados para este fim:

Hackfest

 

O evento primeiramente lançado pelo Ministério Público da Paraíba, que já contou com 3 edições entre os anos de 2016 a 2018, caracteriza-se como “um movimento tecnológico cujo propósito se remete ao combate direto à corrupção, entendida como uma das principais causas para o desencadeamento da pobreza e miséria social”. O mesmo vem sendo replicado em outros estados (como RJ, RN e RS), com o objetivo de fomentar a participação social no combate à criminalidade em face da Administração Pública. Em sua última edição, a maratona premiou 12 criações.

Confira uma entrevista com o co-fundador do Hackfest, uma maratona de tecnologia, que tem como objetivo desenvolver soluções tecnológicas que estimulem os cidadãos a exercer o controle social em favor do combate à corrupção. O evento também conta com a parceria de outros órgaos, como o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), entre outros.

Hack in Sampa

Realizado pela primeira vez em junho de 2017 com grande repercussão, o Hack in Sampa tem como tema "prevenir a corrupção e combater o desperdício de recursos públicos", além de já ter sido reproduzido em Santos e Campinas, com foco em cada cidade. Organizado pelo vereador do município de São Paulo, José Police Neto*, é uma realização da Cidade Viva, da Shawee, startup que fomenta inovação e mudança de mindset dentro de empresas privadas e instituições públicas. Já contou com patrocínio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil e o apoio da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP).

* O parlamentar é autor do Projeto de Lei (PL) 01/2017. O texto organiza a Política Municipal de Prevenção da Corrupção, cria o Conselho Municipal e Controle Social e um fundo público para combater o crime. Outros 20 vereadores assinam a proposta.

 

Saiba Mais

Um Hackerspace no Parlamento Brasileiro

 

LabHacker no parlamento brasileiro foi criado em dezembro de 2013 - a iniciativa teve como base a demanda de participantes da Maratona Hacker (Hackathon) de outubro de 2013, ocorrida na Câmara e desde a sua criação experiências interessantes tem sido observadas. Além de promover novas formas de diálogo entre Parlamento e sociedade, gerou a criação do portal e-Democracia, uma plataforma da Câmara sob a gestão do Laboratório Hacker, análises de retórica parlamentar (identificação dos temas de trabalhos dos congressistas), mapa dos projetos de lei, entre outras e que foi modernizada ao longo dos anos. 

Confira uma matéria de 2014 sobre a criação do Laboratório e uma palestra de 2017, sobre o histórico inicial de atividades:

No referido portal, o “Wikilegis”, é uma plataforma para construção colaborativa de leis. Outra parte, o “Expressão”, permite a realização de debates entre deputados e cidadãos, de forma estruturada. Por fim, outra seção, a de Audiências Interativas, permite que os visitantes acompanhem e participem dos debates das comissões da Casa, enviando perguntas e sugestões que já vêm sendo utilizadas com frequência pelos deputados.

Saiba Mais

"5 iniciativas do hackerspace no parlamento brasileiro" e "4 lições aprendidas na implementação de um hackerspace no parlamento brasileiro", artigos por Cristiano Ferri, Fundador e Diretor do Laboratório Hacker da Câmara dos Deputados por 4 anos, além de gestor do Portal e-Democracia de participação social no processo legislativo da Casa - profissional da Câmara dos Deputados desde 1993.

 

Acompanhe nas Redes Sociais

 

Universo: Fique por Dentro

  • Como Ser um Competidor de Sucesso em Hackathons ?

©2020  Uma iniciativa Pernambuco Transparente.